Pousada

1POUSADA MARILIA “Casa de Lamare”

 

A famosa casa de praia da família de Lamare, às margens dos canais da Ogiva e Itajuru, no Bairro da Ogiva em Cabo Frio, foi construída em 1960 pelo banqueiro Abelardo de Lamare e sua mulher Clarice de Lamare. Projeto do famoso arquiteto Mauricio Roberto, que dissera ao senhor Abelardo que seria esta casa “a menina dos seus olhos”, fazendo com que o casal de Lamare se apaixonasse pelo projeto, e desse carta branca a M. Roberto. A construção teve início no ano de 1960 e ficara pronta no final de 1961. Teve como decorador Julinho Senna que encomendou da artista Concessa Colaço dois tapetes feitos à mão medindo 4×2, que na ocasião custavam o mesmo preço de um automóvel Mercedes Benz 0km, cada um, feitos sob medida para o salão principal. A casa foi palco de inúmeras festas de réveillon e carnaval que marcaram a sociedade carioca e até mesmo o jet-set. Em um de seus réveillons teve como convidada a atriz Rita Hayworth, trazida por Jorge Guinle, que costumava frequentar a casa.

Era comum ver os barcos de turismo e fotógrafos de revistas da época passando em frente a praia particular procurando flagrar as celebridades, que eram figuras fáceis em sua praia e “deck” como a atriz Tônia Carreiro e seu marido o empresário César Tedim, que costumava parar sua lancha “Moringa” de trinta e dois pés na areia como se um simples bote a remo fosse, trazendo à bordo seus amigos Ibrahim Sued, Ilka Soares, Suzana Vieira – que andava de bicicleta no jardim principal – entre outros. Eram famosos os drinks servidos no bar da praia, além do famoso bacalhau “a moda da silva”, que foi cardápio de inúmeros almoços oferecidos na casa pela filha do casal de Lamare a embaixatriz Celinha de Lamare Bastian Pinto e seu marido o embaixador Luiz Bastian Pinto, tendo eles o costume de receber personalidades ilustres como o presidente Médici, governador Carlos Lacerda e sua mulher dona Letícia, deputada Sandra Cavalcanti, senador Ulysses Guimarães, barão João Saavedra e baronesa Gilda Saavedra, além dos príncipes dom João e dona Fátima de Orleans e Bragança que tinha residência em Cabo Frio e costumavam chegar a casa pela praia atravessando o canal do Itajuru a bordo se seu barco à vela. Abelardo veio a falecer em 1979 e posteriormente Clarice em 1983, tendo a casa ficado de herança para os dois filhos do casal Lúcio e Celinha. Lúcio faleceu em 1986, tornando a casa alvo de disputa entre Celinha e a viúva de Lúcio, terminando essa disputa em leilão judicial em que Celinha acabou arrematando a casa, que recebe uma proposta do empresário Adolfo Maia e decide vendê-la.

Anos depois, necessitando de obras contundentes obras de restauração foi negociada com Marilia e José Maria Carneiro no início de 2006. As obras de restauração se iniciaram em fevereiro de 2007 e duraram dois anos. Em 19 de fevereiro de 2009 a casa de Lamare, inteiramente restaurada é transformada na Pousada Marília, que abre suas portas e prepara-se para viver novos e interessantes dias. Em 21 de fevereiro de 2009, em pleno período de carnaval, a Pousada Marilia recebe seus primeiros hóspedes da família de Ermírio Cunha Pereira. O jornalista Ibrahim Sued por mais de uma vez se referiu em sua coluna social escrita como “a melhor casa de Cabo Frio”, quando comentava algo sobre a mesma.